Power (Poder)

VENDIDO, Zürich - Suíça

Papel tela A3 (2021)

stylos colorés e noir

O poder, assim como a arte, tem seus caminhos. A imagem que acompanha este post mostra alguns deles. A essência de ambos talvez esteja na capacidade de se revelarem pela busca constante de se esconderem. O poder mais denso e profundo, aquele que de fato delibera, age e manda, costuma não ser explicitado. Ocorre de maneira sub-reptícia, sem que tenhamos a consciência de sua onipresença. Na arte, ocorre a mesma coisa. As obras geralmente mais profundas em seu poder de questionamento exercem essa atribuição sem necessitar de uma declaração externa de autoridade. A presença do círculo, da evocação do uróboro, a mítica imagem da cobra que infinitamente busca morder a própria cauda e alusões a formas que remetem a ovos, embriões ou casulos constituem um universo visual que remete ao poder de existir e de transformar o ordinário em extraordinário. A arte exerce uma importante potência nesse jogo.

Oscar D’Ambrosio