CORUJA EMBRIONÁRIA

TELA: 120 x 70 (2009)

Trata-se de uma tela mais antiga da artista, um psicodelismo flutuante.

Despertar o sentimento de ser uma psico-criança ao tentar desvendar e entrar na tela com pensamentos ondulando dentro de discos voadores da imaginação.

As bolhas de energia representam embriões humanos com sua visão de vida (mentalidades, pensamentos, valores). As multicoloridas da direita definem todas as influências de pessoas que temos durante nossas vidas. E as monocromáticas azuladas da esquerda (lado do coração) traduzem todas as lembranças que temos de seres que já não fazem mais parte do plano terrestre, porém que nos marcaram de alguma forma e foram de grande aprendizado.

Esse jardim dos embriões fortalece a fecundidade vital universal.

No centro com os horizontes invertidos (verde no céu e azul na terra) encontra-se uma família, cada um com seu batimento individual de coração, composta da união de dois seres maiores que criaram dois menores e que tem a supervisão e a proteção de um terceiro ser mágico (representado por  um sol amarelo-avermelhado). As duas bolhas adultas encontram-se no mundo realístico e as três bolhas crianças encontram-se num mundo de fantasia. 

Todos têm um acesso aberto para o mundo das “estrelas” e o contato com as bolhas já falecidas.

Duas portas-janelas (uma dentro da outra) e uma muralha de anjos dourados mistificados dividem o mundo de fora com o mundo de dentro da família. O que for necessário e bem-vindo entrará.

Os arcos de linhas coloridos são plataformas de arco-íris simbolizando caminhos e estradas, onde as idéias podem ser transformadas. Elas funcionam também como gavetas contínuas onde as energias são armazenadas para quando forem necessárias. Como o indicador  do nível do carregamento de uma bateria. E todo esse episódio de vida acontece sobre a supervisão estilizada de uma mãe coruja tomando conta e nos protegendo e de um coração apaixonado.

Valor sugerido: 6 Mil.