SEMÁFORO VIVO

1 TELA: 50 x 120 (2011)

A cidade é representada de dentro para fora e de fora para dentro.

O céu está no meio da tela e este é incorporado e cercado por edifícios com pequenas janelas de luzes como se fossem lustres de indivíduos fantasiados de retângulos. Todos admirando um contínuo nascer-pôr de sol caloroso.

O rio (a fluidez da cidade) está em volta da tela fechando-a como um escudo.

No centro da tela, um semáforo com formas distintas , que dão acesso a uma entrada de uma caverna, um lugar secreto e protegido, que leva e traz o choque existencial cotidiano de uma grande cidade.

As lanternas luminárias tem duplo sentido, de iluminação e de delimitação onde a segurança começa ou acaba.

Cada canto da tela é marcado com antenas interligadas que tem a função de proteção enquadrada. Essas conexões fazem transmissões ao vivo da vibração da cidade com as pessoas e vice versa.

A tela transmite sincronicamente uma agitação de um movimento e uma calmaria de uma estagnação: o paradoxo de um relógio. 

Valor sugerido: 6 Mil.