Músique “sous-sûr” les os: au souffle de la mort qui prend vie

VENDIDO, Zürich - Suíça Dimensão: 80 x 130 x 4 cm

“Música ‘dentro e fora’ dos ossos: o respiro da morte que se transforma em vida”

Ano de produção: 2017

Técnica: acrílico

Dimensão: 80 x 130 x 4 cm

Músique “sous-sûr” les os: au souffle de la mort qui prend vie (Música ‘dentro e fora’ dos ossos: o respiro da morte que se transforma em vida), de Diane Dumas (@dianedumas11)
Pintada com tinta acrílica neon 3D, a obra (80 x 130 x 4 cm) que acompanha este post tematiza a morte de uma maneira diferenciada. Escapa, em boa parte pela maneira como usa a cor, das visões trágicas românticas e permite entrar em algo mais próximo das célebres tradições mexicanas. Existe alegria na dança da morte, vista como transformadora. Afinal, os esqueletos se igualam. As diferenças sociais desparecem perante a nossa estrutura sem peles diferentes. Apenas os ossos estruturam os corpos que se movem perante a música que a nossa imaginária pode colocar na imagem. Talvez a decomposição dos corpos com o passar do tempo tenha, de fato, uma sinfonia diferente para cada um. Os passos dos esqueletos e o movimento das mandíbulas das caveiras também emitem ruídos a serem descobertos pelas percepções de quem contempla a tela. Ver desnudada a estrutura essencial de um ser humano, nesse aspecto, é um ato de humildade. Conhecer aquilo que sustenta a nossa carne nos torna mais cientes de nossas limitações perante a valsa do universo.

Oscar D’Ambrosio