00:00:00 GEBURT (Nascimento)

1 TELA: 70 x 130 (2018)

O quadro provoca uma súbita intriga pelo caos exposto e foca na genialidade das junções das imagens embutidas com detalhes criativos. É fascinante tentar entrar dentro dessa pintura. Suas visões mudam de acordo com a orientação em  que a tela é fixada. Independente disso, é sempre possível enxergar um grande ser. Por isso o título da obra: 00:00:00 define o horário do nascimento de todos, a expulsão e a evolução da energia substancial.

De um jeito vê-se uma cabeça de um extraterrestre ou de um gigante inseto desconhecido com seu cérebro à vista, e seus olhos  profundos nos encarando.

De um outro jeito vê-se a grande “mama”, com um turbante na cabeça, uma figura reconfortante e protetora materna do lar que dentro dela  carrega um indivíduo já crescido.

Na lateral destaca-se uma figura brilhante e hiper vermelha que simboliza um útero florindo e sangrando simultaneamente. Uma taça divina e simbólica convidando a brindar com o sangue da vida. Este útero é enlaçado por dois ovários fluorescentes. Um ovário é beijado por um beija-flor e o outro é abraçado por um golfinho. 

A bolha facetada por inúmeras cores representa o saco amniótico protegendo o feto abstrato sem definições nem julgamentos. Acima os órgãos do tronco destacando o coração e os tubos transmissores (artérias e veias) em direção aos dois pulmões no outro extremo da tela.

A tela na horizontal destaca-se um indivíduo com face e tronco (azul claro e escuro) localizado dentro de um dos pulmões tendo o espelhamento de sua face (violeta escuro) refletido no outro pulmão.  Esse é o momento em que deixamos o saco amniótico, saindo do útero materno e começamos a respirar por nós mesmo pela primeira vez com os nossos próprios pulmões e nos confrontamos com o nosso próprio eu. Por isso a ligação das duas faces desse indivíduo entre si e se refletem como se fosse um espelho, uma pessoa se olhando e vendo o reflexo da própria face simbolizando a sua alma (sua cabeça espiritual) e sentindo o seu próprio respiro (sua aura).

No centro, na passagem  do útero para os pulmões, no coração estilístico há  um circuito, um grupo entrelaçado de mini-indivíduos com mantas coloridas, anjos e mentores protetores usando chapéus de cobre (de proteção e de atração) que os unem uns aos outros , que se abraçam e dançam juntos. Sãoigualmente as células cinzas do cérebro do extra-terrestre ou do indivíduo dentro da barriga da “mama”. Aqui revela-se a força da união desses dois órgãos coração e cérebro, essenciais para a sobrevivência. 

No meio se destaca a imponência da espiral do DNA que divide o quadro. Grudado a ela está uma balança de equilíbrio, a justiça representa por ovos (testículos masculinos e os óvulos femininos) que viram olhos perante o mundo.

No centro também se destaca uma sutil metaformose. O formato da sorte de trevos de quatro folhas é comparado com asas que acariciam nossa paz interior reforçam o respiro vital.
A forte mensagem: Você não é um robô. Nasça e renasça quantas vezes quiser e for necessário, e isso na sua hora desejada. Os seus órgãos humanos sempre estarão expostos, mas sua fraqueza será sua maior força.

Valor sugerido: 9 Mil.