Todo mundo no mundo de todo mundo

Ano de produção: 2017

Técnica: acrílico, cores Neon, contorno com tinta 3D que brilha no escuro

Dimensão: 80 x 130 x 4 cm

Todo mundo no mundo de todo mundo, de Diane Dumas (@dianedumas11

Realizada com tinta acrílico neon e tinta 3D neon e fluorescente, que brilha no escuro, a obra (80 x 130 x 4 cm) que acompanha este post traz uma configuração visual em que é possível encontrar, por exemplo, imagens de pessoas. Elas estão umas dentro das outras dando a entender a possibilidade de uma junção dos seres humanos em torno de alguns ideais. Trata-se de um conjunto harmonioso no sentido de não haver aqueles que estão discriminados ou que não fazem parte desse movimento. Devido às tintas usadas, o trabalho brilha no escuro. É como se a humanidade pudesse sobreviver por ter seu luz própria. Desse modo, as interpretações possíveis se multiplicam, como chaves a abrir portas com infinitos caminhos. 

Izon

Ano de produção: 2007

Técnica: acrílico

Dimensão: 100 x 100 x 4 cm

“IZON” (“is on”), de Diane Dumas (@dianedumas11)

Pintada com tinta acrílica e 3D, a obra (100 x 100 x 4 cm) que acompanha este post tem como eixo poético a palavra fictícia IZON, uma lúdica variação da expressão inglesa “is on”, que significa “estar ligado”. O termo surge ao centro de um grande caça-palavras, em que a expressão, quando encontrada, aparece em branco, enquanto as letras aleatórias estão escritas em vermelho. O trabalho permite uma leitura ambígua, pois “estar em modo on” tanto pode significar viver dentro do sistema, sem questioná-lo, ou manter-se atento a tudo que está ao redor em busca das próprias alternativas, permanecendo com o senso crítico ligado e a mente artisticamente conectada consigo mesma e com o mundo ao redor.

Oscar D’Ambrosio

1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47,